top of page
  • Foto do escritorcontatogilsonss

RCC - RENOVAÇÃO CARISMÁTICA CATÓLICA. Práticas evangélicas no Catolicismo.

Costumes do culto evangélico como falar em línguas, curas, milagres e professias são praticados pelo grupo católico da Renovação Carismática. Desde seu início, o movimento foi um sucesso. E é até hoje. Sua celebração cativa e comove os participantes. É repleta de canções e louvores a Deus. Vamos conhecê-la!



Como surgiu


Jovens leigos católicos participavam de um retiro espiritual na Universidade de Duquensne em Pittsburg nos EUA em Fevereiro de 1967. Eles relataram que estavam rezando juntos em uma capela e receberam a visita do Espírito Santo. Disseram sentir a sensação de fogo na ponta dos dedos e o recebimento de uma força e uma graça sobrenatural.



O evento ganhou repercursão. Os jovens formaram pequenos grupos e começaram a cultuar o avivamento do Espirito Santo através de práticas carismáticas de louvor a Deus. O movimento ganhou adeptos muito rápido. E se espalhou pelo mundo.


O vaticano acolheu e estimulou o movimento pois ele estava de acordo com as decisões tomadas em 1962 quando da realização do CONCÍLIO VATICANO II. Nele, foi revista a visão da Igreja sobre as mudanças da sociedade no século XX, aceitando-se a participação dos católicos leigos dentro da Igreja.



A chegada no Brasil

No Brasil, a RCC surgiu de forma bastante semelhante ao evento que a originou. Sessenta jovens cristãos leigos estavam participando de um retiro espiritual em 1969 na cidade de Campinas em São Paulo, e após conhecerem o movimento carismático cristão, sentiram a força, o desejo e a determinação de divulgá-lo. Se subdividiram em pequenos grupos chamados de GRUPOS DE ORAÇÃO, título até hoje muito conhecido nas comunidades cristãs. De início os grupos fizeram muito sucesso no Vale do Paraíba em São Paulo, e nas décadas de 70 e 80 se espalharam por todo o Brasil. Hoje, é comum encontrá-los em quase todas paróquias católicas das grandes cidades brasileiras.



As celebrações carismáticas

Tanto as missas carismáticas celebradas por sacerdotes, quanto as reuniões dos grupos de oração coordenados por leigos cristãos, diferem bastante das práticas tradicionalistas da igreja católica. Em determinados momentos se assemelham, e muito, aos cultos evangélicos.



Os dons carismáticos são dons e manifestações do Espírito Santo. Os fieis que participam das celebrações são envolvidos em um ambiente de profundo louvor e devoção que os estimulam a agirem de forma a demonstrar seus dons e sentimentos através do canto, das orações em voz alta, dos depoimentos expontâneos, do falar ou compreender idiomas desconhecidos, de sentir ou ouvir mensagens espirituais como curas ou profecias, enfim, de sentir ou expressar algum carisma.


Os carismas do Espírito Santos estão citados na Bíblia na 1a. Carta de São Paulo aos Coríntios, Capítulo 12, versículos 8 a 10. "Porque a um pelo Espírito é dada a palavra da sabedoria; e a outro, pelo mesmo Espírito, a palavra da ciência; e a outro, pelo mesmo Espírito, a fé; e a outro, pelo mesmo Espírito, os dons de curar; e a outro a operação de maravilhas; e a outro a profecia; e a outro o dom de discernir os espíritos; e a outro a variedade de línguas; e a outro a interpretação das línguas"


As controvérsias


É justo registrar que a RCC resgatou um grande número de católicos que tinham abandonado a prática do culto, porém, há motivos para que a RCC fosse alvo de críticas e discussões dentro da hierarquia da igreja católica, causando desconforto entre os tradicionalistas e os carismáticos. Os principais pontos dessa controvérsia são:


  • a igreja tradicional prega a caridade como forma de redenção dos pecados, criticando a RCC por não ter grupos voltados a este fim. A RCC não nega a caridade como fundamental para a salvação, mas evidencia a espiritualidade individual de forma que o fiel seja íntimo de Deus;

  • para a RCC o dia de pentecostes é fundamental para a experiência com Deus. Os tradicionalistas criticam a RCC pelo excesso do uso de carismas e louvores;


  • os tradicionalistas dizem que a comunhão é o ápice da celebração da missa e deve ser o CENTRO DA FÉ. Já nas missas carismáticas alegam possuir muitas orações cantadas, muitos momentos de louvor e carismas, e shows após a celebração. Eles pedem o respeito para que os shows tenham maior ênfase no sacramento da comunhão do que ao show propriamente dito. Cabe destacar que com o aparecimento da RCC, uma série de novos artistas se destacaram como Rosa de Saron, Padre Fábio de Melo, Padre Marcelo, Anjos de Resgate, Adriana, Celina Borges e outros


Para finalizar cabe destacar que os pontos que mais distanciam a RCC ao Protestantismo são a SUBMISSÃO AO PAPA, e o CULTO À VIRGEM MARIA praticado por todos os grupos da RCC.


Como a fé é curiosa!!!!

Fontes de pesquisa:


  • Site RCC Brasil - Nossa história

  • Site Wikipédia

  • http://revistaplura.emnuvens.com.br/anais/article/view/545 da ABHR - Associação Brasileira de História das Religiões

  • Livro "A missa na Renovação Carismática - Um momento privilegiado de cura" do Pe. Isac Isaías Valle - Edições Louva-a-Deus - 1994




40 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo
bottom of page