top of page
  • Foto do escritorcontatogilsonss

SHALOM! A GRANDEZA DO JUDAÍSMO

Prepare-se para conhecer a variedade de curiosos costumes da religião judaica. Eles são considerados excêntricos quando comparados com os vividos pela maioria da sociedade. Para compreendê-los, faz-se necessário conhecer um pouco da idolatria da religião, e como ela surgiu. Vamos lá...


Sinagoga Kahal Zur Israel - Recife, Pernambuco, Brasil
Sinagoga Kahal Zur Israel - Recife, Pernambuco, Brasil

Tudo começa quando o profeta Abraão por volta do ano de 1800 a.C recebe uma missão de Deus (Javé), descrita em Gênesis 12. Abraão deveria migrar com sua família para Canaã (Palestina). Deus disse-lhe que ele teria vida longa, que seria pai de muitas nações, que diversos reis nasceriam de sua linhagem e que todas as nações da Terra seriam abençoadas por sua semente. De seu neto Jacó, nasceram doze filhos que iriam fundar as tribos que formariam o povo judeu. Os judeus foram escravizados no Egito e seriam libertados por Moisés por volta de 1300 a.C. Com a morte do Rei Salomão, foram criados o Reino de Israel e o Reino de Judá. Ambos foram dominados pelos babilônicos e mais tarde pelos romanos no Séc I, época de Cristo.


Moisés - Quadro de José de Ribera
Moisés - Quadro de José de Ribera

O judaísmo é a primeira religião a acreditar em um único Deus. Possui mais de 3 mil anos de existência. Fortaleceu-se em 1948 com a criação do estado de Israel, após o holocausto que matou milhões de judeus na II Guerra Mundial. Hoje, conta com cerca de 15 milhões de adeptos, a maioria na América do Norte e em Israel. No Brasil, a comunidade judaica é a 2a. maior da América Latina, perdendo apenas para a Argentina.


Hoje, quem é considerado judeu?


Todas as pessoas que nascem de uma judia. O judaísmo é uma religião de caráter familiar. Assim se preserva e assim se difunde. Não existe propagação pública. Aceita-se a conversão de pessoas sob aprovação de um tribunal judeu composto por rabinos (sacerdotes judeus). Indiretamente, um judeu é um membro da tribo de Judá.


Suas escrituras sagradas


O alicerce da crença judaica é a Torá, ou os cinco livros de Moshê (Moisés, considerado o autor). São eles: Bereshit (Genesis), Shemot (Êxodo), Vayikrah (Levítico), Bamidbar (Números) e Deravim (Deuteronômio). Estes livros correspondem à Lei Judaica e são os primeiros livros da Bíblia Hebráica, formada também pelos livros Nevlin (Os profetas) e Kelivin (Escritos).


Sefer Torá na Sinagoga de Glockengasse
Sefer Torá na Sinagoga de Glockengasse

Outro livro sagrado é o Talmude onde são descritas discussões sobre a lei e a ética judia, os costumes e a história da religião.


Os ritos sagrados


Circuncisão (Brit Milá)

Realizada nos recém-nascidos masculinos. É um dos preceitos do judaismo e um símbolo do pacto feito entre Deus e os judeus através de Abraão. "Circuncidarei a carne do prepúcio: este será o sinal da aliança entre mim e vós"(Genesis 17:11);


Boas Vindas às meninas (Zeved Habad)

Os pais da menina bebê, no primeiro Shabat (Sábado - dia de descanço e louvor), comparecem à Sinagoga (Templo judaico) onde o rabino os abençoa e ela recebe seu nome hebraico, um nome religioso que acompanha toda a vida um judeu;


Passagem a Maioridade

Cerimônia de passagem dos adolescentes à maioridade religiosa. Eles assumem a responsabilidade de seguir a doutrina judaica. Para os meninos (Bar Mitavah) ocorre quando eles completam 13 anos, e para as meninas (Bat Mitzvah) quando elas completam 12 anos;


Casamento

Um rito com muito detalhes e visa cumprir o mandamento da procriação. A cultura judaica diz que os noivos devem ficar separados sem nenhum contato por uma semana antes do casamento, afim de que ocorra a purificação de cada um;


Luto (Shiva)

Período de 7 dias onde o enlutado deve ficar em recesso no seu lar, sem contato social.


Os costumes são praticados a risca por todos os judeus?


Não! Estudiosos da religião classificam os judeus em 3 classes de seguidores:


Ultra-ortodoxos: seguem estritamente as leis sagradas da Torá. Vivem restritos à cultura judaica formando comunidades fechadas. É fácil reconhecê-los: capa preta, barda comprida e chapéu preto. Crêem que o Messias ainda está por vir;


Judeus ultra-ortodoxos em protesto
Judeus ultra-ortodoxos em protesto

Ortodoxos: respeitam a Torá como fonte do saber divino, porém não são tão rígidos no cumprimento de todas as leis religiosas;


Conservadores ou Judeus Modernos: seguidores judeus com atitudes e interpretações moderadas. Possuem posições e pensamentos voltados à reforma das leis e costumes. Buscam interação com outras culturas.


Há ainda o chamado Judaismo Nazareno cujos fiéis seguem Cristo (Yeshua). Para eles, Jesus é o Messias, porém seu espírito é a encarnação de Deus. Não o consideram como filho de Deus e não acreditam na trindade católica.

Nos anos 70 uma nova corrente judaica foi criada chamada Judaísmo Messiânico. Diferente de todas as demais classes, reconhecem Jesus como Filho de Deus, crendo também na Santíssima Trindade. Esta corrente não é reconhecida por Israel.


Os símbolos judaicos


O MENORÁ

Candeladro com 7 pontas. É a representação divina de Deus aos judeus em menção aos 7 dias que Deus levou para criar o mundo. O Menorá só é exibido nas sinagogas e nunca nas residências em sinal de respeito, pois o objeto pertencia ao Templo de Jerusalém;


Menorah
Menorah

A ESTRELA DE DAVI

Símbolo contido na bandeira de Israel. É um símbolo da história recente e foi popularizado durante o período do nazismo;


O MEZUZÁ

Um talismã que é grudado no batente das portas nas residências judaicas. Dentro dele contém um pequeno pergaminho com passagens da Torá. Os judeus as passarem pela porta devem beijar o Mezuzá;


Mezuzá e o texto de seu pergaminho interno
Mezuzá e o texto de seu pergaminho interno

O QUIPÁ

Uma boina ou chapéu pequeno e redondo colocado no centro da cabeça. Seu uso significa que o indivíduo segue os preceitos da Torá além de demonstrar o respeito a Deus;


Boina dos judeus
Quipá

O TEFILIN

Um amuleto composto por um par de caixinhas de couro presas a uma tira também de couro. O Tefilin é amarrado ou no braço esquerdo ou a testa dos judeus. As bolsas, como o Mezuzá, guardam pequenos pergaminhos com trechos da Torá. Seu uso indica a ligação do intelecto com as emoções;


Criança judia usando o Tefilin
Criança judia usando o Tefilin

O THALIT

Um xale que o judeu recebe aos 13 anos do avô ou do pai. O xale o acompanha por toda a vida como algo pessoal, íntimo; representando o isolamento com Deus. É usado nas orações, no casamento e para enrolar o corpo quando falecer;


Oração com o tradicional Thalit
Oração com o tradicional Thalit

O SHOFAR

Um instrumento musical utilizado nas festividades. Representa o carneiro que foi sacrificado pelo profeta Abraão no lugar de seu filho.


Shofar
Shofar

Outros costumes e características do povo judeu:


A Cabala: é o conhecimento místico do judaismo;

Os Casamentos: prevalecem os "por amor". O casamento arranjado é prática minoritária exclusiva de comunidades ultra-ortodoxas e é efetivado somente se houver concordância do casal;


Casamento judaico
Casamento judaico

Antes do Casamento: as mulheres ultra-ortodoxas tem o hábito de raspar o cabelo para demonstrar recato e para protegê-las de olhares de outros homens. Após, usam perucas ou lenços;

Os Cachos nos cabelos masculinos: simboliza o cumprimento do mandamento de Levítico 19:27: "Não cortareis o cabelo arredondando os cantos da vossa cabeça, nem danificareis as extremidades de vossa barba";


Cachos usados nos cabelos masculinos judeus
Cachos usados nos cabelos masculinos judeus

Limpar a casa: costume de ser somente na sexta-feira;

Alimentação: os ultra-ortodoxos seguem o capítulo 11 de Levítico que diz que não se comerá carne de porco, carne de coelho e peixes que não tenham escamas e barbatanas. Atum, salmão e linguado são permitidos;

Os casais judeus: marido e mulher dormem em camas separadas mostrando o isolamento ou o fechamento de cada pessoa em si;

O defunto: deve ser banhado e amortalhado antes da cerimônia;

Doação de Órgãos: doação permitida somente entre vivos. Não são permitidas doações de pessoas mortas;

Cremação: Não é permitida. A alma deve se separar naturalmente do corpo;

Autópsia: Não é permitida pois profana o corpo do falecido. Caso a justiça obrigue, deve-se devolver as partes periciadas;

No Shabat: os ultra-ortodoxos não cozinham, não cortam, não lavam nada, não costuram e não assistem TV;

A Internet: muitas ressalvas. Liberadas apenas para o trabalho e consultas relativas a Torá. Em comunidades ultra-ortodoxas, seu uso é proibido.



Este é o mundo judeu. Como a fé é curiosa........


867 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo

Commentaires


bottom of page